fbpx

Você grita com seu filho? Então pare o quanto antes

Você grita com seu filho?

Se você grita com seu filho sempre que ele faz algo de errado, saiba que, além de não estar educando, você está gerando sérios problemas. Entenda.

Olá mamães! 

Hoje, gostaria de levá-las a uma reflexão muito importante do qual, em minha prática, tenho percebido ser uma luta constante da maioria dos pais.

Então me responda: você grita com seu filho? Esse grito tem sido frequente?

Se a resposta foi sim, então sugiro que leia este post até o final. 

A primeira reflexão que gostaria de fazer com você é que, ao gritar, você não consegue de fato impor autoridade e, tão pouco, fazer com que seu filho lhe entenda. 

“Mas Valéria, quando eu grito ele faz o que eu mando. Ele me obedece.”

Ok! Mas sabe por que ele faz o que você quer quando grita com ele? Por medo! Apenas por ficar com medo de sua reação. E dessa forma, ele não estará aprendendo absolutamente nada.

Ao pensar sobre isso, existem inúmeras situações que se repetem dia após dia e os gritos vão se tornando cada vez mais frequentes. Palavras vão ganhando um sentido negativo e nada se resolve, apenas se embola em um ciclo vicioso.

Ao gritar, você gera em seu filho sentimentos de raiva, agressividade, medo, insegurança, além de ensiná-lo a resolver seus problemas desta forma: GRITANDO

Para tratar deste problema, gostaria de apresentar a você uma comunicação que leva a reflexão e ao entendimento, levando seu filho a atender seus pedidos, não por medo, mas por respeito a sua figura de autoridade.

Comunicação Positiva

Esta comunicação tem sido um dos grandes assuntos debatidos nos meios sociais, pois ela tem se revelado um de tantos outros aspectos fundamentais na educação dos filhos.

A comunicação positiva, nada mais é que uma forma tranquila e respeitosa de falar, firmando sua autoridade sem ofender ou impor medo através de gritos naquele que ouve.

Sabe aquele momento que seu filho mexe com algo que não é para mexer?

Usando a  comunicação positiva você diz que não é para mexer, explica o motivo que não pode mexer e explica o que pode acontecer se ele continuar mexendo.  Desta forma você irá ajudá-lo a compreender o que você quer, levando-o a te respeitar e obedecer. 

E sabe por que falar disso é importante? Porque palavras têm muito poder! Você já deve ter ouvido isso, mas o poder que elas exercem, o significado que elas nos trazem, a forma como colocam para nós marcam profundamente nossa história e nos acompanham por muito tempo.

Sei que, em alguns momentos, perdemos o controle. Afinal, existem situações que exigem muito de nós e nos fazem falar o que não convém de uma forma primitiva. Porém, ao perceber isso acontecendo, tente mudar essa situação aos pouquinhos, tentando sempre recuperar o controle, entre erros e acertos, até encontrar o equilíbrio. 

Agora eu te pergunto, quais palavras você tem lançado para seu filho? São palavras que constroem, palavras por falar ou palavras que desanimam? Ao responder para si essa pergunta, aproveite o momento e busque elaborar uma mudança positiva na comunicação com seus filhos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Categorias
Bio

Profª Esp. Valéria Gomes Ramos

Profª Esp. Valéria Gomes Ramos foi aluna do curso de Formação de Docentes, graduada em Pedagogia, especialista em Psicopedagogia Institucional e Clínica e Aconselhamento Cristão Contemporâneo. Possui formação nas áreas que envolvem autismo, especialmente o ABA, cuidado da família, equipe motivada e educação especial. Valéria apresenta experiência há mais de sete anos na área de educação com os mais diversos públicos, atuando diretamente na orientação de pais e professores, técnicas motivacionais e superação de dificuldades de aprendizagem.

Fale Comigo